IMA muda logomarca ao completar 41 anos

Prestes a completar 41 anos, em 9 de julho, a IMA – Informática de Municípios Associados adotou uma nova identidade visual para sua logomarca, mais moderna, dinâmica e arrojada. Em traço contínuo, semelhante a uma fibra ótica, o nome da empresa surge dentro de um contexto de inovação com o objetivo de se aproximar da população.

A apresentação da nova logomarca aos funcionários da IMA ocorreu na última sexta-feira (23), durante o evento “Acontece na IMA”, uma reunião de integração e troca de conhecimento entre as diversas áreas da empresa.

O presidente da empresa, Fernando Garnero, fez questão de explicar aos presentes a necessidade da mudança. “A marca anterior tinha no seu corpo o símbolo arroba que remete mais a e-mail do que à tecnologia. Era hora de inovar, modernizar e é essa mensagem que a nova logomarca transmite”, disse.

“A vida na cidade é ponto de partida para produção de soluções aos municípios que combinam tecnologias para beneficiar o cidadão de forma contínua”, diz Hildebrando Neto, responsável pela FSB Comunicação, criadora da nova marca.

Ele explicou que, “em um primeiro momento, relacionamento e informática podem parecer até antagônicos. Mas não são. Cada vez mais, a lógica dos zeros e uns nas mais diversas linguagens, que compõem os mais diferentes sistemas, produz soluções que aquecem, intensificam, melhoram a relação do cidadão com a sua cidade.”

E continuou: “Essa melhor relação entre administrações públicas e munícipes só produz resultados efetivos com continuidade. Assim a IMA é vista pelas lentes do design como um agente central em uma relação tríade: cidade – tecnologia – cidadão. Quanto mais eficientes forem as soluções tecnológicas da IMA, mais equilibrada será a relação entre a cidade e o cidadão”, finalizou.

A criação da nova logomarca para a empresa teve custo zero, segundo informação de Fernando Garnero. A troca do material impresso dentro da empresa será gradativa, após o consumo do estoque do material mais antigo, para não haver desperdício e não gerar despesas desnecessárias.

Ir para topo