Saúde investiga morte por suspeita de catapora

"Y. morava em Hortolândia e recebeu a primeira assistência médica no PS do Padre Anchieta no dia 10"

. A equipe que atendeu a criança constatou, pelo quadro clínico, que a criança estava com catapora. Ela foi medicada e a família orientada quanto aos cuidados a serem adotados. Dois dias depois, como o quadro apresentou piora, Y foi levada ao Mário Gatti. Para concluir se Y. morreu em conseqüência da catapora, a Vigilância epidemiológica aguarda resultados de exames que devem estar prontos na próxima semana.Ocorrências Neste ano, Campinas notificou 567 casos de catapora, com maior incidência desde agosto. Os registros referem-se a 65 surtos ocorridos em escolas da Prefeitura e outras instituições municipais. Não houve mortes entre moradores de Campinas. O último óbito de morador da cidade foi registrado em 96.Desde janeiro, em todo Estado, foram registrados pelo menos 24 mil casos e 22 óbitos. O número de mortes está bem abaixo da média de 38 registrada em anos anteriores e muito aquém do pico de 67 mortes ocorrido em 99. Desde outubro, segundo informou ontem a Secretaria Municipal de Saúde, o número de notificações vem diminuindo."A situação demonstra um controle epidemiológico efetivo da catapora em Campinas e no Estado, com adoção de medidas de prevenção recomendadas e, este ano, implementadas com a vacinação de bloqueio em creches", afirmou a enfermeira sanitarista Maria do Carmo Ferreira, da Vigilância Epidemiológica Municipal.Carmo Ferreira informou que a catapora é uma doença contagiosa, causada pelo vírus varicela-zoster, que atinge principalmente menores de 15 anos. A maior parte dos surtos em creches e escolas ocorre entre o final do inverno e início da primavera. A principal forma de manifestação da doença, segundo explicou a enfermeira, é o surgimento de pequenas bolhas pelo corpo, que evoluem para crostas e cicatrizam em aproximadamente cinco dias. O quadro também pode apresentar febre e indisposição."Na imensa maioria dos casos, a varicela é benigna. No entanto, pacientes com desnutrição ou quadro de baixa imunidade tendem a apresentar formas mais graves da doença, como pneumonia e complicações hemorrágicas, o que pode causar óbitos", explicou a enfermeira sanitarista Brigina Kemp, da Vigilância Epidemiológica Municipal.Nos Estado Unidos, anualmente, a catapora acomete, em média, cerca de quatro milhões de pessoas, levando aproximadamente 100 à morte.

Ir para topo