A IMA e a inclusão digital

Artigo do presidente da IMA, Fernando Garnero, publicado no jornal Correio Popular.

Campinas está ganhando destaque no cenário nacional pelas ações desenvolvidas na área da tecnologia que estão permitindo a inclusão digital. Com investimentos relativamente baixos, mas com muita vontade política estamos levando conectividade gratuita para os cidadãos com uma extensa malha de fibra óptica de mais de 130 km de extensão e quase uma centena de emissores de sinais de internet.

Estamos equipando os prédios públicos para melhorar o atendimento à população, mas sem esquecer do cidadão e ampliando a rede de fibra óptica para 430 km. Ao mesmo tempo que modernizamos os serviços com a informatização do atendimento, queremos proporcionar o acesso à rede mundial de computadores (World Wide Web) para que o munícipe possa se beneficiar dos serviços já implantados e em uso por muitos habitantes da cidade.

O programa Campinas Digital, que visa levar internet gratuita, via WiFi, para diversos pontos da cidade, implantou em março o 29º ponto para a população. E para o próximo mês, vamos inaugurar mais quatro, sempre em locais de grande concentração de pessoas, que ficam no Terminal Barão Geraldo, Terminal Ouro Verde, Mercadão e Cidade Judiciária.

Num dos distritos mais populosos e afastados do centro de Campinas, o Campo Grande, a rede de WiFi gratuita foi implantada na Praça da Concórdia, local conhecido pela realização de grandes eventos e pela aglomeração de jovens nos fins de semana.

Outro distrito beneficiado foi Sousas. A praça escolhida foi a Beira Rio, também palco de eventos e turistas que visitam o local. E, por fim, o Hospital do Câncer, próximo ao Hospital Mário Gatti, por reunir um grande público diariamente e onde os pacientes precisam se comunicar com seus familiares e amigos.

Vale salientar que Campinas está bem à frente de outros municípios e até mesmo de programas oferecidos pelos governos Federal e Estadual. Isso é motivo de orgulho para quem mora na cidade. Um dos fatores responsáveis por esse trabalho é a existência de uma empresa municipal, a IMA – Informática de Municípios Associados, que detém a tecnologia e que permite grande agilidade na implantação dos sistemas.

Na linha da inclusão digital, o Ministro de Ciência e Tecnologia, Gilberto Kassab, trouxe ao município o programa “Internet para Todos” com mais de R$ 3 bilhões em investimentos para levar o acesso à internet de banda larga para lugares remotos ou isolados.

Esse projeto está embasado em quatro pilares que são: 1) Promover inclusão digital nas localidades onde inexista oferta adequada de conexão à internet; 2) Apoiar comunidades em estado de vulnerabilidade social, oferecendo acesso à internet; 3) Ampliar o acesso à internet para instituições públicas; e 4) Apoiar órgãos governamentais em ações de governo eletrônico.

Esse projeto do Governo Federal vem complementar a expansão da internet banda larga em locais de difícil acesso.

Existem programas pelo país afora que fazem a inclusão digital proporcionando cursos, treinamentos e financiamentos para aquisição de equipamentos de informática, ou levando conexão de internet a preços reduzidos. Diferentemente desses programas, em Campinas nós estamos levando o acesso gratuito à internet para a população.

Estamos completando o ciclo para propiciar que o cidadão faça parte de um todo, podendo usufruir do que aprendeu ou adquiriu quer seja por seu próprio esforço ou por intermédio dos programas existentes.

Ao levar a rede de fibra ótica para diversos pontos da cidade, estamos garantindo que 57 escolas da rede pública municipal de ensino e 10 unidades básicas de Saúde estejam conectadas com links dedicados, juntamente com outras 13 unidades descentralizadas. A fibra óptica também está proporcionando uma redução de 60% nas chamadas telefônicas por intermédio do sistema VOIP. Em 2017 foram realizadas 2.038 chamadas que totalizaram 7.560 minutos de conversa a custo zero para as escolas.

Associado a isso, Campinas mantém também o programa Juventude Conectada. São 27 unidades multiplicadoras de conhecimento, de formação profissional e de estudos. Esse programa também não existiria se não houvessem esforços para criar e ampliar a malha digital mantida pela Prefeitura de nossa cidade.

Pois bem, estamos na frente novamente pois temos uma empresa de economia mista que já realiza esses serviços. Vamos estudar, agora, a participação conjunta com esse programa para que também possamos receber verbas federais e acelerar a expansão da rede WiFi gratuita na cidade.

Um estudo realizado pela The Economist Inteligence Unit em parceria com o Facebook no ano passado mostrou que o Brasil ocupa a 18ª posição no ranking da inclusão digital entre 75 países. Infelizmente não temos esse estudo referenciando Campinas, o que colocaria a cidade num patamar bem mais elevado. É sempre bom lembrar que Campinas é considerada a primeira no ranking nacional entre as não capitais, no conceito de cidade inteligente.

Já tive a oportunidade de falar sobre o conceito de cidade inteligente em outro artigo, mas é sempre bom explicar, de modo simples e rápido, que se trata da infraestrutura ofertada pela cidade para a utilização de serviços por meio digital. E é a infraestrutura implantada pela IMA que coloca Campinas nesse patamar.

O principal objetivo do Campinas Digital é prover meios de acesso aos serviços da Prefeitura de Campinas de maneira gratuita e facilitada para a população. A existência deste programa por si só tem origem na necessidade da inclusão digital e acessibilidade a todos os cidadãos.

Com 30 pontos de acesso público, que serão ampliados para 34 em fevereiro, nosso desafio passa a ser a monetização do serviço. Ou seja, encontrar empresas que estejam dispostas a pagar por espaço publicitário na rede de WiFi gratuito. Demos um salto de 700 conexões/hora para 1,95 mil conexões hora, o que significa cerca de 1 milhão de conexões ao mês.

Para a monetização do WiFi livre através de publicidade, está sendo desenvolvido um sistema pela própria IMA que dará oportunidade a todos os interessados em colocar seus anúncios através de vídeos curtos ou até de ter a sua marca estampada na tela inicial. Existe também a possibilidade de a empresa colocar o seu nome no serviço, que hoje se chama Campinas Digital. A Sanasa foi a primeira patrocinadora desse serviço e sua marca pode ser vista logo na tela de acesso.

É Campinas na vanguarda novamente. É a IMA mostrando a sua importância para o progresso e desenvolvimento da cidade.

*Fernando Garnero é presidente da IMA - Informática de Municípios Associados e secretário geral da Associação das Nações Unidas-Brasil (Anubra). E-mail: fernando.garnero@ima.sp.gov.br.

Ir para topo